como alguém ja escreveu…

TCEd está a acabar. A esta altura, para a maioria das pessoas envolvidas, já terminou até.

Para mim, foi um previlégio poder ter passado por esta disciplina duas vezes, embora que em contextos muito diferentes.

Num primeiro contexto, o de aluna…trabalho e mais trabalho, pesquisa, leituras, dores de cabeça, ajustamento entre pessoas… mas uma boa experiência, bastante enriquecedora.

Agora do lado de , as coisas foram bem diferentes.

Experiência ainda mais enriquecedora. Por aquilo que aprendi, por aqueles que conheci, pelo que tive oportunidade de fazer, acompanhar e sentir.

Infelizmente, não pronunciei, publicamente, perante todos os alunos da edição do Mestrado em Multimédia em Educação, o meu obrigado por tudo o que me deram e me permitiram conhecer.

No entanto, aproveito este espaço para fazer chegar a mensagem a todos vós!

Só não consigo transmitir aqui o tal brilho nos olhos que parece ter passado no momento, mas ele foi denunciador. Como alguém disse, “Esse brilho é próprio de almas ricas, de pessoas que se envolvem e vivem por dentro o que fazem cá fora”.

Fico feliz por transparecer o que vai cá por dentro 😀

Não posso deixar de agradecer também, às extraordinárias pessoas que me permitiram entrar nesta aventura, e que parece terem percebido essa coisa do viver por dentro o que se faz fora 😀

Muito do que sou também o devo a vocês. Obrigado.

Procurei em Vinicius novamente…

“Amigos meus

Amigos meus, está chegando a hora
Em que a tristeza aproveita pra entrar
E todos nós vamos ter que ir embora
Pra vida lá fora continuar

Tem sempre aquele
Que toma mais uma no bar
Tem sempre um outro
Que vai direitinho pro lar

Mas tem também
Uma sala que está vazia
Sem luz, sem amor, sombria
Prontinha pro show voltar

E em novo dia
A gente ver novamente
A sala se encher de gente
Pra gente comemorar

in Poesia completa e prosa: “Cancioneiro”

Advertisements

3 Responses to “como alguém ja escreveu…”


  1. 1 RicardoC November 25, 2007 at 2:29 am

    Olá!

    Eu não gosto nada de posts com poemas, sobretudo quando os poemas são desta craveira porque fico sem hipótese de responder… Para quê escrever o que quer que seja quando outros o fizeram tão melhor? 😀

    Limitado que estou nas minhas opções de escrita, só me atrevo a deixar o meu obrigado a uma quase-vizinha e uma nota de tristeza por não podermos continuar a interagir em contexto aula. Fica a certeza que, pelo menos por aqui, andaremos sempre por perto…

    Godspeed!
    RC

  2. 2 João Lima November 25, 2007 at 1:04 pm

    Um dia uma amiga disse se eu lhe escrevia num papel uma conjunto de palavras que fizessem sentido.

    Escrevi:

    “Sê a bravura. Sê suave e doce. Sê como a pedra que segura a terra ou como a água que corre livre. Passou mais um ano. Nele estão agora memórias de um tempo de vida que não podes apagar. Vai sempre ser assim. Poucas vezes terás uma segunda oportunidade em tudo. Sê leve como o vento. Bela como um fim de tarde com sol de Inverno. Sê feliz se quiseres. Sê triste quando tiveres que ser. Nunca deixes de olhar para ti e critica-te sempre. Encontra sempre tudo aquilo em que podias melhorar. Tudo aquilo que deixaste por fazer, por acabar. Procura sempre aquilo que ainda não viveste. E fecha os olhos quando estiveres cansada. Mas não deixes que ninguém te os veja fechados. Sê forte, mas tem medo. O medo faz-nos mais livres. Mais desprendidos de nós mesmos. Por isso teme o que conheces e descobre o que te é desconhecido. Ama como se amanhã tivesses que partir. Deixa saudades por onde passares mas não queiras que te recordem. Ficas presa se te recordam. Sê sempre livre. E deixa o tempo levar-te para onde ele quer que vás. Não corras atrás de nada. Sê toda. Sê inteira. E abre os olhos sempre diante do mar. Nunca vires as costas às ondas. Não sabes o que virá no virar da maré. Sê perfeita em todos os teus defeitos. E vive. Sempre. Nunca deixes de viver. Amanhã podes não estar cá e não terás mais lembranças para criar. Esquece. Sempre. Não gastes espaço para recordar. Alguém fará isso por ti. Sempre que puderes foge. Para um lugar que só tu conheças. E chora, ri, sorri. Verdadeiramente. E não te esqueças, a tua casa é o teu mundo. Regressa sempre a casa. Foi lá que nasceste. É de lá que partes sempre, todos os dias, rumo à vida. Sê flor. Sê justa. Sê tudo aquilo que consegues ser num só gesto e serás feliz.”

    Obrigado por tudo o que deste. Estaremos sempre deste lado, a cada instante, a cada momento.

  3. 3 Ana Luísa Santos November 25, 2007 at 10:56 pm

    Pois é, estamos todos tristes por teres que nos deixar…
    Mas contamos sempre contigo no msn, no SL e também em todos os jantares que viermos a organizar 😉 Quem sabe numa saída à noite também!!!

    A tua ajuda foi preciosa… num momento de tanto stresse, anciedade e trabalho… Aprendemos e partilhámos muitas coisas… Obrigada por todas as roupitas, skins e outros objectos… que me levaram a entrar com mais fervor no espírito do SL…

    Beijinhos muito grandes da Ana luísa e também da Luana Darwin 😀


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s




parte do meu mundo

del.icio.us


%d bloggers like this: