Posts Tagged 'E-learning'

na passada 5ª feira

fui até à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, da Universidade de Lisboa para assistir à conferência “e-Learning e Comunidades: no digital, mas mais além”, apresentada pelo Professor Doutor João Paiva, da  Universidade do Porto.

Embora tivesse chegado uns minutos atrasada, fiquei um pouco desiludida por não se ter abordado o tema das comunidades, tal como esperava que fosse.

 Falou-se no e-learning, na utilização das tecnologias no ensino, do usar as tecnologias para promover aprendizagens e não a aprendizagem das tecnologias per si, mas a questão social…a questão da inteligência colectiva, do conheciemnto partilhado em comunidade, que o digital tão bem pode promover…não ouvi nada (ou quase nada, salvo numa ou outra questão discutida no final)

tive pena…se cahar falou-se nos momentos em que estive ausente.

Valeu por  ter conhecido a Te, ou melhor a Teresa, amiga de “longa data”, aqui destes mundos virtuais. A conversa foi curta, mas a simpatia confirmada, e o entusiasmo por este mundo em mudança, um ponto comum confirmado!

Até breve. muito breve.

Advertisements

uma das vantagens de estar na capital…

é a de poder aproveitar as várias oportunidades, de forma facilitada, que vão surgindo.

Inscrevi-me à última da hora no Fórum TI com o intuito de participar na discussão sobre o Second Life, no Centro de Congressos de Lisboa.

Quando lá cheguei, já depois de almoço, deparei-me com um outro evento (este tinha-me passado ao lado), o E-learning Lisboa 2007.

Sem dúvida que me interessava mais, mas não me tinha inscrito sequer! Ainda assim…lá consegui assistir a um painel de discussão, que teve como tema principal “motivar para aprender”.

Sala cheia, moderador interessante, mas as comunicações…bem, na minha opinião deixaram um pouco a desejar, tendo em conta o tema central.

Se na primeira comunicação, o orador, Karl Steffens, ainda falou de algo que me interessou, nomeadamente o papel do professor no e-learning, como principal agente de motivação, as seguintes comunicações fugiram um pouco ao tema.

Achei interessante a actividade que os Correos espanhóis estão a desenvolver nesta área, com os seus funcionários, apresentada por Concepción Lagüela. Aqui faltou falar da tal motivação para aprender..não era esse o tema central?!

Já por último, e com menor qualidade (na minha modesta opinião), foi a vez de Luís Matos apresentar o Campus PT.

Sobre estratégias de motivação para aprender, não percebi que se tivesse falado. Culpa talvez do inglês arranhado usado para a comunicação, ou pela exaustão na mostra de mil e uma ferramentas, lms, lcms que são usadas para promover aprendizagem entre os funcionários da Portugal Telecom. (que mania a deles de queres sempre vender todos os produtos …aquilo foi mais publicidade que outra coisa!)

Não me vou queixar muito, até porque foi uma supresa agradável poder participar neste evento.

Chegava a hora de descer de piso, e ouvir falar sobre o Second Life!

Não percebi bem a escolha do tema, num tipo de evento como o fórum TI. Ou melhor, o tema até tem pertinência, mas é um pouco estranho ouvir falar alguém daquilo que não sabe, não conhece, apenas ouviu falar.

Sob o mote da questão ” Como é que as empresas podem aproveitar esta tendência (o SL) para comunicar mais eficazmente e para melhorar o seu negócio?” foram surgindo as opiniões dos senhores da Oracle, Cisco, HP, Samsung, entre outras…

As opiniões de cada um, valem o que valem, mas mais uma vez assisti a uma discussão com base na especulação sobre o que se faz no Second Life, o virtual, a segunda vida, os avatares mais bonitos do que na realidade as pessoas são (assuntos batidos na comunicação social portuguesa, não é?) …discussão essa promovida por pessoas que admitiram nunca ter sequer entrado neste mundo virtual.

Entre os cerca de 10 utilizadores do Second Life, naquela sala, entre mais de 50 pessoas, foram surgindo também opiniões e sugestões.

Não perdi a oportunidade de intervir, desviando um pouco o assunto para a educação e oportunidades de formação que as empresas podem aproveitar, num tipo de ambiente como o Second Life.

Numa sala de homens, deu-me a ideia que não ligaram muito à minha opinião, mas eles que investiguem um pouco, antes de dizer umas postas de pescada, para ficar bonito.

Valeu pela experiência, já que o conhecimento..não saiu muito favorecido.


parte do meu mundo

del.icio.us